O julgamento no Tribunal do Júri de um homem que tentou matar a namorada com cinco tiros em agosto de 2019 foi marcado, nesta terça-feira (28), em Venâncio Aires, interior do Rio Grande do Sul, por um inesperado pedido da vítima: ela solicitou, e conseguiu, autorização dos jurados para beijar o réu. Micheli Schlosser, de 25 anos, aproveitou e afirmou que perdoava Lisandro Rafael Posselt, de 28, pela agressão.

Depois do gesto da ex-namorada, Posselt foi condenado a sete anos de prisão. A defesa do acusado comemorou a ação “inesperada” de Micheli, que facilitou a argumentação da defesa.

O homem estava preso desde o dia seguinte ao crime, mas agora, pelo fato de a pena pela tentativa de feminicídio ter sido inferior a oito anos e por não possuir antecedentes criminais, será posto em liberdade.

O advogado do réu considerou a pena “adequada” e afirmou que não recorrerá da decisão. Após a sentença, a vítima e o réu posaram abraçados em uma foto com os advogados que atuaram na defesa dele.

O ataque

Durante o processo, informou o promotor Pedro Rui da Fontoura Porto, Micheli afirmou que a discussão entre os dois – e a tentativa de feminicídio – ocorreu após ela ameaçar montar contra o namorado uma falsa acusação de estupro.

A polícia apurou que Micheli e Posselt discutiram em uma praça no centro de Venâncio Aires, em 14 de agosto do ano passado. Amigos do casal presenciaram a briga. O homem deixou a praça, mas retornou armado, em uma moto.

Ao perceberem a aproximação do homem, os amigos empurraram Micheli para dentro de um carro. No entanto, Posselt disparou sete vezes pelo vidro traseiro, acertando cinco disparos na vítima. Ela foi socorrida e ficou internada em um hospital, mas se recuperou.

Com Informações: https://oimparcial.com.br