CAXIAS EM FOCO: Poeta caxiense Edimlson Sanches homenageia Profª Valquíria Fernandes

VALQUÍRIA ARAÚJO FERNANDES DE OLIVEIRA, professora

(Caxias – MA, 07/06/1943 – Teresina – PI, 08/06/2019)

Ainda não era meio-dia deste sábado, 8 de Junho de 2019,quando soube que, naquela manhã, falecera a Professora Valquíria Araújo Fernandes de Oliveira. Ela estava internada no Hospital São Marcos, em Teresina (PI), para onde familiares a levaram dia 31 de maio, após sentir-se mal em Caxias (MA), onde morava.

Em toda a primeira semana deste mês de Junho eu e muitos outros amigos, conhecidos, ex-alunos e familiares dela torcemos, oramos, pedimos e esperamos pela recuperação da Professora Valquíria. Redes sociais encheram-se de pedidos por ela. Nos últimos dias 6 e 7 (aniversário dela), chegamos a ter comunicações em áudio e por escrito que nos diziam de sua recuperação, de seus olhos e mãos voltando a movimentarem-se mais e até franca esperança de médicos em seu restabelecimento.

…E tudo isso tornou-se surpresa, estranhamento, comoção e lágrimas menos de um dia depois, antes das 12h deste 8 de Junho.

A cidade de Caxias, conhecido nacionalmente por seu pioneirismo na Educação, na Literatura, na História e na Cultura em geral perde nesta Contemporaneidade uma de suas mais completas e competentes — e, ainda por cima, delicada, branda, terna — representante.

A Professora Valquíria Araújo Fernandes de Oliveira era sócia fundadora e diretora do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias (IHGC), da Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama) e do Rotary Club. Foi Secretária Municipal das pastas de Educação, Cultura e Turismo do município de Caxias. Por décadas foi professora de Línguas (em especial Inglês e Francês) em escolas caxienses, como o Colégio São José e o Colégio Caxiense, e também no Yázigi, do qual foi diretora e proprietária da franquia em Caxias. Seu apostolado na Educação foi além das escolas de Ensino Básico e Médio, dos cursos livres e profissionalizantes, da gestão pública municipal setorial e estendeu-se à administração escolar universitária: foi diretora do Centro de Estudos Superiores de Caxias da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), onde foi distinguida com o título de Professora Emérita e de cujo Departamento de Letras foi primeira professora.

Em vida, a Professora Valquíria e eu tivemos pelo menos quatro pontos em comum, além do acendrado amor por Caxias: fui seu aluno de Inglês, ali entre os 14 e os 17 anos, em sua escola de idiomas Yázigi, que ficava, na época, bem próxima do conhecido prédio da agência central do Banco do Brasil. Ali conheci o igualmente gentil professor Arlindo Fernandes de Oliveira, psicólogo, marido da Professora Valquíria, falecido há anos. Arlindo era um “gentleman”, gentil, cordato.

Fui seu colega ou confrade no Instituto Histórico e Geográfico de Caxias, com cargos na Diretoria, e na Academia Sertaneja de letras, Educação e Artes do Maranhão, a Asleama, sediada na “Princesa do Sertão Maranhense”.

Por último, mas não por fim, a Professora Valquíria e eu somos/fomos do Rotary Club, a mais consistente, operosa e prestativa entidade de prestação de serviços sociocomunitários do mundo. Nesta e nas outras entidades costumávamos nos encontrar . Participei de reuniões na residência dela e por ela fui apresentado como palestrante em eventos onde ministrei palestra sobre Caxias e/ou valores caxienses.

A primeira lembrança que, em vida e em memória, me vem da professora Valquíria é “candura”. Não necessariamente a candura sinônima de pureza ou inocência, mas a candura ternura, brandura, afetuosidade, su-a-vi-da-de. Ela pode até (e deve) ter tido seus momentos de brabeza e severidade, mas, como nunca os testemunhei ou deles soube, fortalece-se a imagem daquela mulher pequena, alvinha, loura, meiga, discreta no falar. Uma candura…

A Professora Valquíria morre, pode-se dizer, com um jeito semelhante como quando vivia: sem querer chamar a atenção. Uma professora que se foi da mesma maneira como quando estava: com educação.

Versada em vários idiomas, não deverá ser difícil à Professora Valquíria falar a língua dos anjos.

Pois, queremos crer, é ao lado deles — e do esposo Arlindo — que a partir de agora estará.

Para sempre.

“Pour toujours”.

“Forever”.

Que os familiares recebam a Força Divina para suportar e superar esse momento de dor, luto… e saudades.

EDMILSON SANCHES
www.edmilson-sanches.webnode.com

Fotos: A professora caxiense Valquíria Fernandes com sua netinha Aline Valquíria e com o marido, professor Arlindo; e em evento do Rotary Club de Caxias, apresentando o palestrante Edmilson Sanches, seu ex-aluno

Categoria: Sem categoria

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.