Repasse Informativo | Marcos Monteiro - Repasse Informativo Caxas-MA, O Blog do Marcos Monteiro.

GIRO PELO BRASIL: CARLOS IAVÉ INOVAÇÃO NO CARNAVAL E NA ADMINISTRAÇÃO.

 

Hoje nossa entrevista vem com um novo projeto, que é entrevistar alguns dos melhores gestores do país, com sua forma particular de administrar suas cidades e mostrar que as cidades podem tomar rumos diferentes, basta ter criatividade compromisso e trabalho. Vamos iniciar com um político diferenciado, para não dizer “arrojado”, a começar pela sua coragem em não seguir os padrões que estamos acostumados a perceber. Carlo Iavé Furtado de Araújo é Catarinense de nascimento e Paraense de coração, pois em meados de 1980, veio para a cidade de Redenção no Pará, em busca de novos projetos e por acreditar que ali poderia ser sua nova casa. Redenção nessa época era praticamente sem desenvolvimento, mas era considerada um polo de riquezas minerais com a descoberta pedras preciosas. Vamos agora conhecer um pouco mais da cidade de Redenção do Pará que fica ao Sul do estado, e é hoje uma das cidades mais promissoras do estado, tem feito um dos gestores mais eficientes na atualidade pela sua forma de governar.

Ver vídeo cidade:

 

  • Repasse Informativo: Prefeito, sabemos que sua vinda do Sul do país, Itaiópolis-SC, para Redenção no Pará, foi inusitada e providencial, o senhor poderia nos dizer o por que?

R- Carlo Iavé: Eu venho de uma família de sonhadores. Bem cedo, eu e meus irmãos começamos a trabalhar com nosso pai em uma oficina de conserto de bicicletas. Além da experiência de vendedor de laranjas, o que mostra que sempre tivemos coragem de encarar o trabalho, por mais simples que fosse. E a vinda pra Redenção surgiu de uma proposta para assumir um departamento de uma empresa que atendia os garimpos da região.

  • Repasse informativo: Quais as principais dificuldades que o senhor sentiu nessa mudança de estilo de vida, o que melhorou e o que o senhor sente mais falta?

R- Carlo Iavé: Quando cheguei a Redenção, não existia nada de conforto, tudo era muito rústico. Energia elétrica era distribuída por motores e nem todos tinham o privilégio de ter. Televisão era coisa mais sensacional que se tinha, e não era sempre que funcionava. Nossa maior dificuldade foi através de minha escolha, fazer tanto minha mulher como minha filhinha, Samantha, ainda de colo, ter que se adaptarem a minha escolha de viver aqui.

  • Repasse informativo: O senhor trabalhou na APAE e fez um excelente trabalho, a partir disso o senhor percebeu que sua forma de gestão poderia se expandir para outros rumos?

R- Carlo Iavé: O trabalho da APAE ajudou na construção do ser humano que sou hoje, tivemos a oportunidade de ajudar muitas famílias que se viam desassistidas de um tratamento que pudesse melhorar a vida de suas crianças. Todo o esforço foi necessário para que essa instituição viesse a se tornar sólida com estrutura própria. Foram tempos de muitas alegrias.

  • Repasse informativo: O senhor também é bem sucedido como empresário, qual a principal diferença entre gerir s coisa pública e a privada?

R- Carlo Iavé: Os conceitos de gestão foram deturpados aos longos dos anos. O que é privado tem que ser bom e o público um desleixo. Me propus ao desafio de provar para nossa população que podemos tornar os serviços e a estrutura pública em algo que viesse a dar prazer. Em pouco tempo a frente do poder executivo percebi que os obstáculos são gigantes, mas passíveis de serem ultrapassados.

  • Repasse informativo: A partir de que momento o senhor se interessou pelo sistema de gestão?

R- Carlo Iavé: Tenho hoje empresas em várias partes do Pará e no Sul do país. A cidade que escolhi para viver, ao longo dos anos atravessava sérios problemas com administração. Quando me foi proposto o cargo de vice, vi que naquele momento era me dado à oportunidade de contribuir como minha cidade e não recuei. Não pude fazer muito como vice-prefeito, mas aprendi que a união de pensamentos e a oportunidade de descentralização de ideias ajudam a construir um mundo melhor.

  • Repasse informativo: Em que momento o senhor percebeu que se tornará um político?

R- Carlo Iavé: O interessante é que em nenhum momento eu me vi como um político. Sou um empresário na política, e isso tem diferença. Ao longo da minha vida, acreditei e investi em pessoas. E são muitas dessas pessoas que me ajudam administrar a nossa amada Redenção, minha profissão é administrador.

  • Repasse informativo: Sabemos que nos dias de hoje, ser político é muito delicado, mesmo assim optou adentrar nessa empreitada, mesmo sendo empresário bem sucedido, por quê?

R- Carlo Iavé: O cenário nacional mostra a política totalmente desacreditada. Mas se nós, que temos boas intenções, um passado alicerçado no trabalho, sem nada que abale a nossa moral e conduta, não nos propormos a ocupar essas cadeiras públicas, certamente os maus políticos virão as ocuparão. E nós não podemos permitir que isso aconteça. Não podemos nos acovardar.

  • Repasse informativo: Qual a diferença de um político como o senhor para um político tradicional?

R- Carlo Iavé: O político tradicional tem medo de tomar decisões corretas quando elas interferem na sua popularidade. O político tradicional aproveita das mazelas e catástrofes para construir os seus palanques. O empresário não tem palanque, não tem discurso imponente. O empresário tem diálogo, tem decisões fundamentadas no que é certo, mesmo quando esse certo for gerar insatisfação por parte da opinião pública. Precisamos fazer o que é certo.

  • Repasse informativo: O senhor entrou nesse projeto político como vice-prefeito, e uma tragédia o fizeram tomar decisões difíceis, explique isso? O que aconteceu?

R- Carlo Iavé: Em dezembro de 2015, mudou minha vida e meus planos para sempre. Estava decidido incrementar os meus negócios e sair da vida pública. O que aconteceu com meu irmão Vanderlei, me deixou desajustado. Em frações de segundo tive que reunir minha esposa e meus filhos para tomar a maior decisão da minha vida. Quando me vi decidido a pular do barco e tocar minha vida de empresário, um primo muito querido me fez uma ligação e por telefone ele fazia uma parábola em que o final o personagem principal da história ficaria como covarde porque se negou a lutar por um povo. Naquele momento eu decidi assumir o desafio de conduzir os rumos da cidade que me acolheu há tantos anos.

  • Repasse informativo: Essa fatalidade o fez repensar o modo de governar e aumentou sua responsabilidade?

R- Carlo Iavé: Sim, em poucos dias pude formar a minha primeira equipe, a qual me ajuda até hoje. Como estrategista coloquei os meus líderes em lugares certos. Através da boa influência e nome que construí, recebi apoio de grandes lideranças do estado e da União. E pode perceber que com gestão, respeito e humanização a gente pode fazer muita coisa.

  • Repasse informativo: Estivemos pesquisando sobre modo de gestão pública e o senhor aparece entre os 20 melhores do país no segmento gestão inovadora, como o senhor vê isso?

R- Carlo Iavé: Simplicidade faz toda diferença. Nunca deixei de ouvir a opinião do mais simples colaborador das minhas empresas. Nunca me contive em salas trancadas. O que me realiza é estar entre pessoas, ouvindo cada um e absorvendo o que há de mais nobre, que são as ideias. Ideias que tem dono e nome, e eu as sempre creditei, o que me tornou o empresário bem sucedido foi justamente dividir funções e investir em pessoas.

  • Repasse Informativo: O que faz seu governo ser diferente?

R- Carlo Iavé: Temos um governo participativo. As secretarias estão sempre abertas para ouvir e atender os anseios da comunidade. Meu secretariado hoje é mais ativo e estratégico, pois discutem o desenvolvimento estratégico e com isso absorvem melhor o desejo da população e melhorar cada setor.

  • Repasse informativo: O fato do senhor não fazer Carnaval foi outra estratégia?

R- Carlo Iavé: O carnaval é uma festa cheia de encantos, quisera eu estar administrando uma cidade em que os cofres públicos estivessem tranquilos. Que nossas secretarias estivessem equipadas e não fosse necessário escolher entre remédio e a banda que anima o povo, a prioridade de compra. Nós podemos ter um dia o Carnaval, mas esse dia tem que chegar com nossas contas em dia e regularizadas.  Os governos federais e estaduais não disponibilizam recursos específicos para realização dessa festa, tem que sair do tesouro municipal e hoje temos uma prioridade: que é manter uma cidade em equilíbrio. Não foi estratégia e sim necessidade dessa atitude.

  • Repasse Informativo: Agora vamos mostrar um vídeo que é um diferencial no nosso Brasil, que foi uma decisão da sua gestão, o senhor acredita que o carnaval é algo secundário?

R- Carlo Iavé: Acredito que podemos viver sem carnaval. (Vídeo Carnaval)

  • Repasse Informativo: Para finalizarmos, defina Calos Iavé por Carlos Iavé?

R- Carlos Iavé: Sou amigo e muito verdadeiro. Amo estar em família e por eles dou minha vida. Não perco as oportunidades de ser feliz e de fazer feliz, um grande abraço a todos, Calos Iavé, prefeito gestor de Redenção no Pará.

Entrevista realizada pelo jornalista e comunicólogo, Pedro Junior para o Blog Repasse Informativo.

 

 

 

Categoria: Sem categoria