Repasse Informativo | Marcos Monteiro - Repasse Informativo Caxas-MA, O Blog do Marcos Monteiro.

ACONTECEU: Para Luana Piovani, Lula fez ‘draminha’ em velório


Atriz posta vídeo indignada com postura do ex-presidente em sua última homenagem a Dona Marisa

A atriz Luana Piovani ficou indignada com a reação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no velório da sua esposa Marisa Letícia, que aconteceu no último sábado (4), em São Bernardo do Campo, São Paulo. Como já é de costume, ela resolveu tornar pública a sua opinião através de um vídeo no Instagram Stories, que está dando o que falar.

“E o Lula no jornal, hoje, dizendo que Marisa foi triste? Gente, morrer é um drama, é uma fatalidade, uma tragédia na vida das pessoas que amam quem se vai. Mas por favor. Muito indigno, ele, numa hora triste como essa, fazer draminha, se vitimizar por conta dessa coisa triste que aconteceu com a dona Marisa. Ah, mas é muita falta de dignidade, gente”, ironizou Luana.

No momento mais forte de seu discurso, o ex-presidente afirmou que fizeram uma “canalhice” contra Marisa e que quer provar a inocência da esposa nas investigações da Operação Lava Jato, em que era ré junto com Lula em duas ações penais. “Na verdade, Marisa morreu triste”, lamentou Lula.

FONTE:https://www.noticiasaominuto.com.br

ACONTECEU: Cobra se enrola em orelha de dona, que precisa correr para hospital

“Eu estava segurando minha cobra quando essa estúpida viu um buraco, que vinha a ser o lóbulo da minha orelha”, disse Ashley Glawe

Ter uma cobra de estimação já não é algo lá muito comum. Imagine quando o esse animal decide se enrolar na sua orelha.

E foi isso que aconteceu com a americana Ashley Glawe, moradora de Oregon, Estados Unidos. Equanto brincava com o réptil, ele se enroscou no lóbulo da orelha da dona, que precisou ser levada ao hospital para retirar o bicho.

“Eu estava segurando minha cobra quando essa estúpida viu um buraco, que vinha a ser o lóbulo da minha orelha, e achou que era uma ideia brilhante tentar passar por ele. Tudo aconteceu muito rápido”, relatou Ashley em seu Facebook. E completou: “Antes mesmo de eu perceber o que estava acontecendo, já era tarde demais. Agora, acredite se quiser, eu estou em uma sala de emergência de um hospital com Bart preso na minha orelha. Por que eu estou sentindo que essa é a primeira vez que algo assim acontece por aqui?”.

FONTE:https://www.noticiasaominuto.com.br

NOTÍCIAS DO MARANHÃO: Maranhense cotado para vaga de Teori no STF


O maranhense Reynaldo Soares da Fonseca, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), é um dos cotados para substituir no STF o ministro Teori Zavascki, que morreu no dia 19 janeiro em acidente aéreo.

A demora na escolha do substituto pelo presidente Michel Temer (PMDB) aumentou as especulações sobre a decisão e alguns novos nomes começaram a ser ventilados. O de Fonseca aí incluído.

Ele está lá lista de magistrados a ser enviada pela Associação de Juízes Federais (Ajufe). A entidade propôs a seus associados algumas dezenas de nomes para votação e posterior formação de lista tríplice que será enviada ao presidente.

Oriundo do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, ele foi nomeado para o STJ em abril de 2015, após disputar a vaga do ministro Arnaldo Esteves Lima, aposentado em julho de 2014, com os desembargadores federais João Batista Pinto Silveira (TRF-4) e Joel Ilan Paciornik (TRF-4).

Nascido em São Luís (MA) em 1963, Fonseca se formou em Direito na Universidade Federal do Maranhão em 1986.
Foi procurador do Maranhão e do Distrito Federal e ingressou na magistratura em 1993, assumindo o cargo de juiz federal substituto da 4ª Vara da Seção Judiciária do DF. Após uma passagem pela Justiça Federal maranhense, ele retornou ao ofício em Brasília. Em 2009, foi nomeado desembargador do TRF-1 pelo critério do merecimento.

Foi também professor da UFMA por dois períodos: de 1987 a 1989 e de 1997 a 1999. Nessa instituição, ele lecionou as disciplinas de Direito Agrário, Teoria Geral do Direito, Direito Constitucional e Direito Administrativo.

FONTE: http://gilbertoleda.com.br/

GIRO PELO BRASIL: Doria fala em multa de até R$ 5 mil para quem pichar em São Paulo



Prefeito declarou: “Não tentem me desafiar, porque nós vamos vencer os pichadores”

Em nova ação do programa Cidade Linda, o prefeito João Doria (PSDB) fez na manhã deste sábado (28) trabalho de jardinagem na região da Luz e voltou a atacar pichadores, dizendo que pretende aprovar uma multa de R$ 5.000 para quem pichar monumentos públicos.

A fala dá seguimento à “guerra do spray” empreendida pela prefeitura nas últimas semanas, que envolveu apagar grafites da avenida 23 de Maio. O prefeito já havia defendido que se aprovasse projeto na Câmara prevendo multa pesada para pichadores.

Nesta sexta (27), a prefeitura havia anunciado que entrará com ações civis na Justiça contra as 26 pessoas presas em flagrante neste mês por pichações em prédios públicos e privados.

“Não tentem me desafiar, porque nós vamos vencer os pichadores. Vamos amparar e valorizar os grafiteiros e os muralistas, mas os pichadores não vão ter sossego. Vinte e quatro horas por dia, durante quatro anos, iremos atrás dessas pessoas. Ou mudam de profissão ou saem de São Paulo”, disse.

Doria disse ter feito um acordo com o Sindicato dos Taxistas para uma parceria na oposição aos pichadores. “A partir do dia 1º de fevereiro, 38 mil taxistas de São Paulo vão acionar a Guarda Civil Metropolitana, qualquer hora do dia ou da noite, quando verem alguém pichando muros, casas e monumentos.”

Jardinagem

Na presença de poucos moradores, o prefeito chegou às 7h da manhã à praça Bento de Camargo Barros, na região da Luz, e recebeu equipamentos de proteção e orientações para usar uma roçadeira para cortar a grama da praça. Diferentemente de ações como a da praça 14 Bis, em que dedicou poucos minutos ao trabalho de gari, Doria passou quase uma hora na limpeza da praça.

Cerca de 25 minutos após o início da operação, Márcio Oliveira, 35, funcionário da empresa terceirizada de jardinagem, comentou: “O prefeito pegou o jeito, está indo bem. Ele precisava fazer este trabalho na Marginal e na avenida Bandeirantes, que são mais perigosos”.

Após 50 minutos de jardinagem, João Doria encerrou seu trabalho. “Nós estivemos cortando grama, fazendo igual às pessoas humildes, que ganham 1200 reais por mês. O prefeito de São Paulo é assim, o vice também, vai do começo ao fim. Não tem negócio de fazer figuração e ir embora”, afirmou.


FONTE:https://www.noticiasaominuto.com.br/Com informações da Folhapress. 

UTILIDADE PÚBLICA: Prefeitura de Caxias emite nota para falar dos serviços de luz pública


A prefeitura de Caxias não está alheia às reivindicações no que se refere aos problemas de falta de energia em alguns pontos da cidade. Nessa época do ano, é normal haver casos pontuais de falta de energia em alguns locais da cidade bem como na zona rural de Caxias devido as chuvas. No caso especifico da praça Vespasiano Ramos (Praça da Igreja de São Benedito), no centro da cidade, houve interrupções momentâneas nos últimos dias, porém, rapidamente solucionada pela empresa prestadora de serviço para a prefeitura de Caxias Citelum. Segundo protocolo em anexo a esta nota, apenas uma reclamação foi feita na área no dia 24 de janeiro e, prontamente atendida pela empresa responsável. O gerente regional da empresa Citelum, Sr. Danilo Nunes, informou que existe indícios de ação de vândalos nessa área da praça Vespasiano Ramos, que possivelmente podem estar desarmando o quadro de alimentação da praça no intuito de deixar a área às escuras para praticar assaltos. A prefeitura juntamente com a Citelum, informa que está apurando e assim que confirmado, acionará os meios cabíveis para coibir tal prática e, que está ainda, buscando uma solução definitiva para sanar esse problema. O Gerente regional da Citelum, Danilo Nunes, informa também, que qualquer eventualidade com a rede elétrica, ou falta de energia na cidade ou zona rural, os usuários podem ligar para o número 0800-727-7173. A ligação é gratuita!

FONTE:http://caiohostilio.com/

DIRETO DE BRASÍLIA: Temer quer ampliar ‘Minha Casa’ para renda de até R$ 9 mil

ECONOMIA/IMÓVEL

Atualmente, o teto da faixa 3 do programa de habitação popular é de R$ 6,5 mil
O presidente Michel Temer estuda ampliar para R$ 9 mil o limite de renda mensal de famílias que podem ter um imóvel com os juros mais baixos do programa Minha Casa Minha Vida. Atualmente, o teto da faixa 3 do programa de habitação popular é de R$ 6,5 mil.

PUB
O governo deve também ampliar os preços dos imóveis enquadrados no programa em torno de R$ 25 mil. Dessa forma, o preço máximo dos imóveis do MCMV, que vale para as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, deve passar de R$ 225 mil para R$ 250 mil.

Essas duas mudanças fazem parte de um “upgrade” no programa de habitação popular, que está sendo estudado pelo governo Temer. Os detalhes devem ser fechados até o final da semana que vem. Segundo uma fonte a par das negociações, a ideia é revigorar o programa para enfrentar a nova realidade econômica.

As últimas alterações desses valores tinham sido feitas em 2015, quando a ex-presidente Dilma Rousseff anunciou a terceira etapa do programa de habitação popular. As novas regras devem ser anunciadas em fevereiro para que o programa esteja rodando a todo vapor a partir de abril.

“Vamos abrir uma nova faixa de brasileiros possam ter acesso ao programa”, disse um integrante do governo. “Vamos dar mais subsídios nas faixas de juros para dar um empurrão maior no acesso aos imóveis e estimular mesmo a produção”, completou, mas com “absoluta responsabilidade”, ressaltou.

Preocupado com a retomada da economia, Temer aposta em um pacote de medidas para a construção civil para impulsionar a atividade, como antecipou o jornal O Estado de S. Paulo. A indústria da construção apresentou ao Ministério do Planejamento um conjunto de ações que pode aumentar as contratações das faixas 2 e 3 do MCMV de 250 mil unidades para 400 mil unidades em 2017.

O governo vai cobrar o setor o cumprimento dessas metas. A meta de construção da faixa 1 é de 170 mil unidades e da faixa 1,5 é de 40 ml unidades.

Pela proposta – que está sendo costurada pelos ministérios das Cidades e do Planejamento e Caixa – haverá um aumento nas rendas de todas as faixas do programa, exceto a faixa 1 (destinada a famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil). Para esse público, o governo chega a bancar até 90% do valor do imóvel, com subsídios.

Na nova faixa 1,5, por exemplo, a renda deve subir para R$ 2,6 mil – atualmente, apenas famílias com renda de até R$ 2.350 podem ter direito ao subsídio de até R$ 45 mil na aquisição de imóvel, de acordo com a localidade e a renda.

Ao mesmo tempo, os juros cobrados nos financiamentos do Minha Casa também devem subir. Para as famílias com renda de R$ 9 mil, os juros devem ser de 9% ao ano. Atualmente, os juros cobrados para a faixa 3 são de 8,16% ao ano.

Mesmo assim, eles continuarão mais baixos do que as taxas cobradas nos empréstimos à casa própria enquadrados no Sistema Financeiro Habitacional (SFH), que variam entre 11% e 13% ao ano. No SFH, o limite do valor do imóvel é de R$ 750 mil nas regiões metropolitanas de SP, RJ, MG e DF.

O vice-presidente de Habitação do Sinduscon-SP, Ronaldo Cury de Caputa, disse que as alterações devem impulsionar o setor, caso a economia continue se recuperando. “O déficit habitacional no País ainda é muito grande. A demanda por casa só depende de boas condições”, afirma. Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins, o mercado está “ávido” por essas mudanças.

FONTE: https://www.noticiasaominuto.com.br










Momento Político:Lobão Filho diz que está pronto para disputar senatória, mas joga incertezas sobre rumos de Roseana, João Alberto e Lobão


Lobão Filho entra na corrida para o Senado com declarações polêmicas sobre candidaturas


“Estou preparado. Tenha certeza estou pronto para 2018. Acredito que existam apenas três nomes bem consolidados para a disputa, o meu, Sarney Filho e Weverton Rocha”. Com essas declarações, dadas ao bem informado blog do jornalista Diego Emir, o empresário e suplente de senador Lobão Filho (PMDB) borrifou querosene e ateou fogo nos bastidores da corrida para o Senado da República e também na corrida ao Palácio dos Leões em 2018. Com o dito ele deixou claro que é pré-candidato à vaga do pai, senador Edison Lobão (PMDB), que na avaliação de observadores experientes dificilmente enfrentará as urnas para renovar o mandato. E não se sabe se por incontinência verbal ou de caso pensado, Lobão Filho menosprezou pré-candidatos do porte do deputado estadual Humberto Coutinho (PDT), do deputado federal José Reinaldo Tavares (PDT), do ex-prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira (PSDB) e do próprio senador João Alberto (PMDB), avaliando que essas pré-candidaturas seriam “balões de ensaio”. Com suas declarações, o suplente de senador provavelmente está colocando em prática uma estratégia que o beneficiará somente se o titular do mandato, Edison Lobão, não for candidato à reeleição.

Lobão Filho pode ter cometido um erro de avaliação ao enxugar radicalmente a relação de uma dezena de pré-candidatos às duas vagas de senador divulgada semana passada pela Coluna, a saber: Weverton Rocha (PDT), Sarney Filho (PV), Humberto Coutinho (PDT), José Reinaldo Tavares (PSB), Roseana Sarney (PMDB), João Alberto (PMDB), Gastão Vieira (PROS), Sebastião Madeira (PSDB) e Márlon Reis e ele próprio, que, tudo indica, terá pela frente também a deputada federal Eliziane Gama (PSB), de quem foi parceiro na corrida para a Prefeitura de São Luís em outubro passado. A Coluna relacionou nomes com potencial para entrar na briga pelas vagas de senador, incluindo os que já estão em campanha, os que estão avaliando o cenário e os que, numa hipótese remota, entrarão na disputa.

Na leitura que faz do cenário da corrida o Senado, o suplente de senador faz um estrago nas possibilidades de candidatura dos Sarney. Quando afirma que o deputado federal e hoje ministro do Meio Ambiente Sarney Filho é candidato a senador, Lobão Filho tira automaticamente a ex-governadora Roseana Sarney tanto da corrida ao Senado quanto da briga pelo Palácio dos Leões. Isso porque seria no mínimo excesso de audácia e pretensão exagerada o grupo lançar Sarney Filho para o Senado e Roseana Sarney para o Governo do Estado. Por melhor que fosse o lastro político dos dois, o eleitorado fatalmente faria opção por um só. Optando por Sarney Filho, os eleitores mandariam Roseana para a aposentadoria definitiva e com o segundo carimbo de derrota no curriculum. Fazendo opção por ela, o eleitor mandaria Sarney Filho para a aposentadoria com uma derrota na sua trajetória até aqui vitoriosa.

(A situação lembra 1998, quando Roseana caminhava imbatível para a reeleição. Diante dos ventos favoráveis, tentaram convencer José Sarney a abandonar o Amapá, onde teria reeleição certa, para disputar a vaga de senador pelo Maranhão, argumentando que a família e o grupo tinham fôlego para eleger os dois. Sarney esteve a ponto de se deixar seduzir pelos apelos, mas sua experiência e tarimba não deixaram. Mandou o Ibope sondar o eleitorado maranhense sobre a proposta, e o resultado foi uma pancada: a maioria dos pesquisados respondeu que votaria num ou noutro, mas não nos dois. Sarney preferiu continuar representando o Amapá).

As declarações do suplente Lobão Filho espalharam também uma nuvem densa de dúvidas sobre o futuro do senador Edison Lobão. Já caminhando para os 80 anos e agastado pela pancadaria que vem sofrendo desde que teve seu nome citado na Operação Lava Jato, Lobão vem deixando no ar a impressão de que ainda não decidiu se será ou não candidato à reeleição. Lobão Filho só será candidato na hipótese de Lobão, o pai, decidir ir para casa e escrever as suas memórias. O senador saiu de cena, mas continua politicamente muito ativo nos bastidores do Senado, nas entranhas do PMDB e, agora, do Governo Michel Temer. Lobão Filho também menospreza a possibilidade de o senador João Alberto entrar na briga pela renovação do mandato, podendo também ser candidato a governador, caso Roseana Sarney não entre na briga pelo Palácio dos Leões, preferindo sufocar o projeto senatorial do irmão ministro.

Ainda jovem, impetuoso e conhecido por dizer o que pensa, Lobão Filho sinaliza entrada na corrida para o Senado apostando nos quase 1 milhão de votos que recebeu como candidato a governador em 2014, quando foi derrotado em turno único. É, sem nenhuma dúvida, um nome para ser levado a sério numa disputa, mesmo com tantos postulantes de peso. A História recente mostra, porém, que na maioria dos casos essa conta não fecha e que cada eleição é uma eleição com suas próprias características, nuanças e preferências. Assim, se vai entrar na briga pelo voto, é bom que esteja mesmo preparado.

FONTE: http://reportertempo.com.br/

MOMENTO SAÚDE: Nove pontos para entender melhor o que é a febre amarela


Casos suspeitos de febre amarela em MG e ES deixaram o Distrito Federal em alerta

Casos suspeitos de febre amarela em Minas Gerais e no Espírito Santo deixaram em alerta autoridades sanitárias da capital federal. O receio de um pico da doença fez com que a Secretaria de Saúde do DF chamasse a atenção para a imunização — 5 mil pessoas foram vacinadas este mês. O último surto do mal no DF ocorreu há 10 anos e deixou oito mortos. 

1. As fêmeas dos mosquitos Haemagogus e Sabethes são as transmissoras na área rural. Na cidade, o Aedes aegypti (o mesmo da dengue, da zika e da chicungunha) é o vetor.

2. As primeiras manifestações da doença são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos.

3. A forma mais grave do mal, no entanto, compromete fígado e rins, provoca icterícia (olhos e peles amarelados), sangramentos e que de pressão arterial.

4. Não há medicamentos específicos. Analgésicos são usados para controlar a dor e soro para manter a hidratação.

5. O calendário de vacinação contra a febre amarela passou por alterações no último ano. Agora, a recomendação é de duas doses para a imunização por toda a vida.

6. A primeira dose é aplicada nos bebês aos 9 meses e o reforço aos 4 anos de idade. Quem receber a primeira dose depois dessa idade deve tomar a segunda após 10 anos.  

7. O regime de vacinação adotado no Brasil é diferente daquele defendido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que recomenda apenas uma dose.

8. Idosos acima de 60 anos, grávidas, lactantes, bebês até seis meses, pessoas com imunodeficiência (como a Aids ou em tratamento de alguns tipos de câncer), transplantados e alérgicos a ovo não deve se vacinar.

9. A mortalidade da doença varia de 15% a 45% dos casos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

FONTE:http://www.correiobraziliense.com.br/